No total, 33 navios brasileiros foram atacados por submarinos do Eixo no período compreendido entre 22/03/41 e 19/07/44. Com exceção de três ataques de submarinos italianos e um da Luftwaffe, todos os demais foram efetuados por submarinos alemães. Dentre estes, o que fez maior número de vítimas foi o U-507 do Capitão de Fragata Harro Schacht, afundando seis navios brasileiros (4 cargueiros e 3 de passageiros). O U-507, ainda sob o comando de Schacht, seria afundado sem sobreviventes em 13/01/43, nas proximidades do Ceará, pelo esquadrão americano VP-83, baseado em Natal.

O primeiro ataque a um navio brasileiro por forças do Eixo deu-se em 22 de março de 1941, quando, no Mar Mediterrâneo, uma aeronave da Luftwaffe atacou o cargueiro "Taubaté", devidamente identificado como de nacionalidade brasileira. Outros incidentes ocorreram na época, mas de modo geral observava-se que as regras da neutralidade não eram respeitadas. Em parte, isso deve-se ao fato de que as nações envolvidas no conflito não hesitavam em usar todo tipo de disfarce para confundir o inimigo, inclusive usando as cores de nações neutras. Isto começou a gerar uma falta de confiança, o que certamente contribuiu para muitas infringências das normas de neutralidade.

Logo após o ataque a Pearl Harbor, o alto-comando alemão decidiu atacar a navegação marítima nas costas dos EUA, visando enfraquecer o fluxo de matérias-primas para os EUA e o de manufaturados exportados pelos Estados Unidos. No primeiro trimestre de 1942 foram torpedeados 156 navios, dentre os quais seis brasileiros: "Buarque", "Olinda", "Cabedello", "Arabutan", "Cayrú" e o "Parnahyba".

Dos navios atacados até então, o "Taubaté", o "Buarque" e o "Olinda" encontravam-se devidamente identificados como brasileiros, desarmados e com suas luzes acesas, o que configurava o desrespeito à neutralidade brasileira por parte do Eixo.

Naturalmente esses três ataques foram de conhecimento de toda a Marinha Mercante, o que fez com que o Governo Brasileiro tomasse medidas de precaução, destacando-se a seguinte mensagem de Getúlio Vargas ao Embaixador do Brasil em Washington, em 17 de março de 1942:

"Procure urgente Governo Norte-Americano em meu nome e solicite providências garantam nossos navios mercantes fazerem tráfego entre Brasil e EUA contra os ataques vem sendo vítimas, parecendo-me necessário sejam comboiados e artilhados, fornecendo Governo Norte-Americano canhões e guarnições, artilheiros, obrigando-se o Governo Brasileiro a repatriá-los. Informe minuciosamente resultado conversações."

Durante os meses de maio, junho e julho, oito outros navios foram afundados por submarinos alemães. Em agosto de 1942, o submarino alemão U-507, comandado pelo Capitão de Corveta Harro Schacht, afundou seis navios brasileiros. Eram eles os navios de passageiros "Baependy", "Araraquara", "Annibal Benévolo" e "Itagiba", e os cargueiros "Arará" e "Jacira", com a perda de 610 vidas. Dentre as companhias que mais sofreram com os ataques submarinos, com certeza a maior prejudicada foi o Lloyd Brasileiro, que teve 21 navios atacados. A Marinha de Guerra do Brasil teve apenas um navio afundado, o transporte "Vital de Oliveira", atacado pelo U-861 em 19/07/1944 e vitimando 100 pessoas.

Com esses ataques, a situação atingiu limites intoleráveis. A pressão popular em todo o país aumentou. Em 21 de agosto de 1942, o Brasil declarava guerra os Eixo.

Navios brasileiros atacados pelas forças do Eixo
Taubaté
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 22/03/1941
Local: Mediterrâneo
Atacante: aeronave da Luftwaffe (tipo desconhecido)
Baixas: 1 morto, 12 feridos
Notas: Navio do Loyd Brasileiro que ia de Chipre a Alexandria quando foi atacado por avião da Luftwaffe. O Capitão Mário Tinoco ordenou a parada no navio e que fossem içados um lençol branco no mastro principal e a bandeira brasileira no mastro de popa. A bandeira brasileira também encontrava-se pintada em ambos os lados da embarcação. O ataque durou mais de uma hora, iniciandose com o lançamento de bombas que erraram o alvo e prosseguindo com a utilização de metralhadoras, atingindo o conferente José Francisco Fraga que faleceu em consequência.
Cabedello
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 14/02/1942
Local: local não definido da costa leste dos EUA
Atacante: submarino italiano Leonardo Da Vinci (Cmt Longanessi)
Baixas: 54 mortos
Notas: Navio do Lloyd Brasileiro, deixou o porto de Philadelphia em 14/02/1942, com destino ao Brasil, trazendo carga de carvão. Desapareceu durante a viagem. Há indícios de que possa ter sido torpedeado entre 19 e 25 de fevereiro por submarinos italianos operando na área.
Buarque
Tipo: cargueiro / passageiro
Data do ataque: 16/02/1942
Local: 54 milhas ao norte de Cabo Hetteras, Carolina do Norte, EUA
Atacante: submarino alemão U-432 (Cmt Schultzer)
Baixas: 1 morto
Notas: Navio do Lloyd Brasileiro, levava café, algodão, peles, cacau e 11 passageiros. Cinco horas antes do ataque, o avião havia sido sobrevoado por aeronave que lançou pára-quedas luminoso, após o que um submarino acompanhou o navio por alguns minutos, torpedeando-o em seguida. O navio encontrava-se iluminado, cam a bandeira do Brasil na popa e pintada nos costados.
Olinda
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 18/02/1942
Local: costas da Virgínia, EUA
Atacante: submarno alemão U-432 (Cmt Schultzer)
Baixas: zero
Notas: Navio da Companhia Carbonífera Rio-Grandense, recebeu tiros de canhão do U-432 por volta das 12:30h. Foi dada ordem de abandonar o navio, a baleeira do comandante sendo intimada a atracar no submarino. Após interrogatório, o Comandante alemão, Cap.Ten. Heinz Otto Schultze, liberou os tripulantes brasileiros, afundando o navio com tiros de canhão. Todos os tripulantes sobreviveram.
Arabutan
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 07/03/1942
Local: 80 milhas do Cabo Hatteras, na costa da Carolina do Norte, EUA
Atacante: submarino alemão U-155 (Cmt Piening)
Baixas: 1 morto
Notas: Navio cargueiro de propriedade de Pedro Brando, foi torpedeado quando navegava às escuras, pintado em cinza e sem bandeiras ou outros indicativos. Viajava de Norfolk para o Brasil com carga de carvão comandado pelo Capitão Aníbal Alfredo Prado. O enfermeiro Manoel Florêncio Coimbra faleceu na explosão.
Cayrú
Tipo: cargueiro / passageiro
Data do ataque: 08/03/1942
Local: 130 milhas de New York
Atacante: submarino alemão U-94 (Cmt Ites) e outro não identificado
Baixas: 53 mortos
Notas: Navio pertencente ao Lloyd Brasileiro, transportava carga de cristal e mica, material de importância à época, 75 passageiros e 15 tripulantes. Navegava camuflado e às escuras. Os submarinos, após o primeiro torpedo, esperaram a descida dos botes salva-vidas para lançarem o segundo torpedo. Mesmo assim, o mau tempo e o frio causaram muitas vítimas, entre eles o Comandante José Moreira Pequeno.
Parnahyba
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 01/05/1942
Local: 220 milhas a sudeste da Ilha de Trinidad
Atacante: submarino alemão U-162 (Cmt Watteberg)
Baixas: 7 mortos
Notas: Navio do Lloyd Brasileiro, era comandado pelo Capitão Raul Francisco Diegoli com tripulação de 72 homens. Estava armado com um canhão guarnecido por quatro homens da Marinha de Guerra. Estava fora da rota recomendada, em área onde já havia sido localizado um submarino.
Comandante Lyra
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 18/05/1942
Local: 02°30'S - 34°20W, latitude entre Natal e Fortaleza
Atacante: submarino italiano Barbarigo (Cmt Grossi)
Baixas: zero
Notas: Navio do Lloyd Brasileiro, contra ele foi lançado um torpedo e, em seguida, tiros de canhão. Duranto o ataque, o radiotelegrafista transmitiu mensagem de SOS, que foi captada por forças aliadas. No dia seguinte, o navio foi encontrado em chamas, abandonado, e a tripulação em dois botes salva-vidas com 41 tripulantes. Um terceiro bote chegava à costa próximo a Fortaleza. O navio foi rebocado para Fortaleza, onde chegou no dia 25 após uma difícil operação levada a cabo pelo rebocador "Heitr Perdigão", da Marinha de Guerra, e o tender "Thrush".
Gonçalves Dias
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 24/05/1942
Local: Mar das Caraíbas, 150 milhas ao sul da República Dominicana
Atacante: submarino alemão U-502 (Cmt Rosensthal)
Baixas: 6 mortos
Notas: Navio do Lloyd Brasileiro, carregava café para os EUA com tripulação de 52 homens.
Alegrete
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 01/06/1942
Local: Mar das Caraíbas, 40 milhas a oeste de Santa Lúcia
Atacante: submarino alemão U-513 (Cmt Harttenstein)
Baixas: zero
Notas: Navio do Lloyd Brasileiro, transportava café, couro e castanhas para os EUA, com uma tripulação de 64 homens.
Pedrinhas
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 26/06/1942
Local: Atlântico Norte, cerca de 360 milhas ao norte de Porto Rico
Atacante: submarino alemão U-203 (Cmt Mutzelburo)
Baixas: zero
Notas: Navio pertencente à Companhia de Cabotagem de Pernambuco.
Tamandaré
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 26/07/1942
Local: 20 milhas a nordeste da Ilha de Tobago.
Atacante: submarino alemão U-66 (Cmt Markworth)
Baixas: 4 mortos
Notas: Navegava com uma tripulação de 52 homens.
Barbacena
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 28/07/1942
Local: cerca de 240 milhas a oeste de Barbados
Atacante: submarino alemão U-155 (Cmt Markworth
Baixas: 1 morto
Notas: Navio do Lloyd Brasileiro
Piave
Tipo: navio tanque
Data do ataque: 28/07/1942
Local: leste da Ilha de Barbados
Atacante: submarino alemão U-155 (Cmt Piening)
Baixas: 1 morto
Notas: Navio do Lloyd Nacional, navegava em lastro próximo ao local onde, apenas 15 horas antes, fora afundado o Barbacena.
Araraquara
Tipo: passageiros
Data do ataque: 15/08/1942
Local: 20 milhas da foz do Rio Real, entre Sergipe e Bahia
Atacante: submarino alemão U-507 (Cmt Harro Schacht)
Baixas: 131 mortos
Notas: Navio do Lloyd Nacional, atingido às 21:15h por dois torpedos, afundou em alguns minutos. Encontravam-se no navio 142 pessoas das quais apenas 11 se salvaram
Baependy
Tipo: passageiros
Data do ataque: 15/08/1942
Local: 20 milhas da foz do Rio Real, entre Sergipe e Bahia
Atacante: submarino alemão U-507 (Cmt Harro Schacht)
Baixas: 270 mortos
Notas: Navio do Lloyd Brasileiro, atingido por dois torpedos às 19:10 afundou em dois minutos. Transportava 233 passageiros e 73 homens da tripulação, num total de 306. A maioria faleceu, inclusive o Major do Exército Landerico de Albuquerque Lima, três Capitães, cinco Tenentes, oito Sargentos e 125 Soldados, integrantes do 7° Grupo de Artilharia de Dorso que se destinava a Recife.
Anníbal Benévolo
Tipo: passageiros
Data do ataque: 16/08/1942
Local: 7 milhas da costa brasileira
Atacante: submarino alemão U-507 (Cmt Harro Schacht)
Baixas: 150
Notas: Pequeno navio que pertencia ao Lloyd Brasileiro, afundou imediatamente ao ser atingido por dois torpedos às 04:30h. Havia 154 passageiros e tripulantes a bordo.
Itagiba
Tipo: passageiros
Data do ataque: 17/08/1942
Local: próximo à Ilha de Tinharé, na altura da cidade de Valença, na costa da Bahia
Atacante: submarino alemão U-507 (Cmt Harro Schacht)
Baixas: 36
Notas: Navio da Companhia Nacional de Navegação Costeira, foi atingido por um torpedo às 10:45h quando transportava 181 pessoas. Socorrido pelo Arará, que teve o mesmo destino.
Arará
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 17/08/1942
Local: próximo à Ilha de Tinharé, na altura da cidade de Valença, na costa da Bahia
Atacante: submarino alemão U-507 (Cmt Harro Schacht)
Baixas: 20
Notas: Navio do Lloyd Nacional, foi atingido por um torpedo quando socorria os náufragos do Itagiba, afundando a seguir. Havia 35 tripulantes a bordo.
Jacira
Tipo: cargueiro (barcaça)
Data do ataque: 19/08/1942
Local: norte de Ilhéus, Bahia
Atacante: submarino alemão U-507 (Cmt Harro Schacht)
Baixas: zero
Notas: Barcaça de 89 toneladas que ia de Belmonte para Salvador com carga de cacau, cinco tripulantes e um passageiro. Interceptada com tiros de metralhadora pelo U-507, foi afundada depois que a tripulação foi obrigada a abandoná-la.
Ozório
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 27/09/1942
Local: nordeste da Ilha de Marajó
Atacante: submarino alemão U-514 (Cmt Rufaram)
Baixas: 5 mortos
Notas: Navio do Lloyd Brasileiro
Lages
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 27/09/1942
Local: nordeste da Ilha de Marajó
Atacante: submarino alemão U-514 (Cmt Rufaram)
Baixas: 3 mortos
Notas: Navio do Lloyd Brasileiro, afundado uma hora após o Ozório
Antonico
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 28/09/1942
Local: costa da Guiana Francesa
Atacante: submarino alemão U-516 (Cmt Gerald Wieb)
Baixas: 16 mortos
Notas: Pequeno cargueiro da firma paraense M.L.Albuquerque.
Porto Alegre
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 03/11/1942
Local: próximo a Port Elizabeth, Africa do Sul
Atacante: submarino alemão U-504 (Cmt Posk)
Baixas: 1 morto
Notas: Navio da Companhia Comércio e Navegação.
Apalóide
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 22/11/1942
Local: 250 milhas a leste da Ilha de Barbados
Atacante: submarino alemão U-163 (Cmt. Engelmann)
Baixas: 5 mortos
Notas: Navio do Lloyd Brasileiro
Brasilóide
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 18/02/1943
Local: costa norte da Bahia
Atacante: submarino alemão U-518 (Cmt Wissmann)
Baixas: zero
Notas: Navio do Lloyd Brasileiro, ex-Montevideo, apresado aos alemães em 1942.
Affonso Penna
Tipo: passageiros
Data do ataque: 02/03/1943
Local: ao largo de Abrolhos
Atacante: submarino italiano Barbarigo (Cmt Rigoli)
Baixas: 94 mortos
Notas: Navio do Lloyd Brasileiro, foi afundado pelo mesmo submarino que no ano anterior atacara o Comandante Lyra.
Tutóya
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 30/06/1943
Local: próximo à Ponta da Juréia, no litoral de São Paulo.
Atacante: submarino alemão U-513 (Cmt Guggenberger)
Baixas: 7 mortos
Notas: Pequeno cargueiro do Lloyd Brasileiro
Pelotaslóide
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 04/07/1943
Local: próximo a Salinópolis, no litoral do Pará
Atacante: submarino alemão U-590 (Cmt Krurer)
Baixas: 5 mortos
Notas: Navio do Lloyd Brasileiro, apresado aos italianos no ano anterior
Bagé
Tipo: cargueiro / passageiro
Data do ataque: 31/07/1943
Local: pouco ao norte de Salvador
Atacante: submarino alemão U-185 (Cmt August Maus)
Baixas: 28 mortos
Notas: Navio do Lloyd Brasileiro, era o maior navio da Marinha Mercante Brasileira. Faleceram 20 passageiros e 8 tripulantes.
Itapagé
Tipo: passageiros
Data do ataque: 26/09/1943
Local: ao sul de Maceió
Atacante: submarino alemão U-161 (Cmt Albrecht Agulles)
Baixas: 27 mortos
Notas: Navio da Companhia Nacional de Navegação Costeira. Dos 27 mortos, 18 eram tripulantes e 9 eram passageiros.
Campos
Tipo: cargueiro
Data do ataque: 23/10/1943
Local: próximo a São Sebastião, no litoral paulista
Atacante: submarino alemão U-170 (Cmt Pfeffer)
Baixas: 10 mortos
Notas: Navio do Lloyd Brasileiro
Vital de Oliveira
Tipo: transporte
Data do ataque: 19/07/1944
Local: altura do Farol de São Tomé
Atacante: submarino alemão U-861
Baixas: 100
Notas: Navio de tranporte da Marinha de Guerra, já prestara relevantes serviços. Conduzia 245 homens e fizera escalas em Natal, Cabedelo, Recife, Salvado e Vitória, de lá partindo em 19/07/44 às 10:00h com alguma carga e militares como passageiros. Pouco antes da meia-noite, foi atingido por um torpedo na popa e afundou rapidamente, sem tempo de baixar os botes salva-vidas. Os sobreviventes foram resgatados somente na manhã seguinte pelo pesqueiro Guanabara e pelo caça-submarinos Javari. O Vital de Oliveira era Comandado pelo Capitão de Fragata João Batista de Medeiros Guimarães Roxo e em seu afundamento faleceram 3 Oficiais da Marinha, 3 Suboficiais, 15 Sargentos, 61 Cabos e Marinheiros, 6 Fuzileiros Navais, 11 Taifeiros e um passageiro civil.

 

Jambock.com.br - Versão 4 - Março de 2015
© Copyright 2000 - 2017 Vicente Vazquez