por Joe Baugher - www.joebaugher.com - traduzido e transcrito sob autorização.

"Se o que você queria era tirar uma fotografia para mandar para sua garota, você sentava ao cockpit de um P-51 Mustang. Mas se o que você queria era sobreviver em combate, você subia ao cockpit de um P-47 Thunderbolt."

Herbert "Hub" Zemke - Oficial Comandante do 56th Fighter Group

O Republic P-47 Thunderbolt nasceu da prancheta de Alexander Kartveli, da Seversky Aircraft Corporation, futura Republic Aviation, sendo frequentemente citado como um dos três maiores caças da USAAF durante a Segunda Guerra Mundial, junto com o North American P-51 Mustang e o Lockheed P-38 Lightning. O Thunderbolt, no entanto, foi produzido em maior quantidade do que qualquer outro caça americano, chegando a um total de 15.683 unidades produzidas antes do encerramento da produção em dezembro de 1945.

Em meados de 1944 havia nada mais nada menos do que 31 grupos de caça (FG) voando os diversos modelos de Thunderbolt. Os Thunderbolts lutaram em todos os fronts da Segunda Guerra Mundial, inclusive no Alaska, sendo que aproximadamente dois terços de todos os Thunderbolts construídos chegaram a unidades de combate fora da América. Em dois anos e meio de combate, de março de 1943 a agosto de 1945, esses Thunderbolts voaram mais de meio milhão de missões de combate, destruindo mais de 12.000 aeronaves inimigas no solo e no ar, contra 5.222 Thunderbolts perdidos, sendo apenas 824 deles em combate. Isso equivale a dizer que quase 54% dos Thunderbolts que foram enviados para além-mar foram perdidos em ação ou em acidentes, o é uma taxa de atrito razoavelmente típica para um caça em tempo de guerra. A perda de Thunderbolts efetivamente lançados em combate era de 0.7%, ou seja, uma taxa excepcionalmente baixa, o que atesta a grande resistência a danos do P-47.

No fim da guerra, o Thunderbolt havia estabelecido uma taxa de vitórias em combate aéreo de 4.6 aeronaves inimigas abatidas para cada Thunderbolt perdido, destruindo 2.752 aviões inimigos no ar e 3.315 no solo. Lançaram 132.482 toneladas de bombas, dispararam 59.567 foguetes e consumiram 135 milhões de cinturões de munição. Do Dia-D (D-Day) até o dia da Vitória na Europa (V-E-Day), os Thunderbolts destruíram 86.000 vagões, 9.000 locomotivas, 6.000 veículos blindados e tanques, e 68.000 caminhões.

O P-47 originalmente idealizado era um tanto diferente da aeronave que emergiu das fábricas da Republic Aviation. Em 1° de Agosto de 1939, Kartveli, em resposta a um requerimento oficial, propôs um caça leve para interceptação a altas altitudes, com a designação de fábrica AP-10. Essa aeronave deveria ser propulsionada por um motor Allison V-1710-39, com cilindros em linha e refrigerado a água, de 1150 hp. Isso foi uma mudança radical na filosofia de Kartvelli que sempre preferiu que os caça utilizassem motores radiais refrigerados a ar devido à sua simplicidade e à sua maior capacidade de absorver danos em combate. A velocidade máxima deveria girar em torno de 667 km/h para um peso de 2220 kg, o armamento consistindo de duas metralhadoras calibre .50 montadas sobre o motor.

A USAAF foi favorável ao projeto, demandando, no entanto, que o armamento da aeronave fosse aumentado mesmo que à custa de performance. Kartveli, então, redimensionou a aeronave e adicionou quatro metralhadoras .30 montadas nas asas. O peso bruto da aeronave subiu para 2980 kg . Com esta configuração, a USAAF encomendou, em novembro de 1939, um protótipo do AP-10 com a nova designação XP-47, protótipo esse cujo número de série era 40-3051.

Em 17 de janeiro de 1940, a USAAF encomendou uma versão desarmada e "limpa" de uma aeronave com o mesmo desenho básico com a denominação de XP-47A. Esta deveria ser desprovida de armamento, rádio e outros equipamentos táticos de modo a ser testada antes do XP-47 completamente equipado. O número de série do XP-47A era 40-3052.

Enquanto isso, os relatórios de combate que chegavam da Europa revolucionavam as idéias sobre o combate aéreo, mostrando que maior poder de fogo, mais armamentos, maior blindagem e tanques de combustível auto-lacráveis seriam essenciais nas futuras batalhas aéreas. Tanto o XP-47 como o XP-47A careciam de potência suficiente para acomodar o peso adicional consequente dessas requisições e a USAAF chegou à conclusão que essas aeronaves não teriam vida muito longa no cenário futuro que se desenhava. a USAAF considerava que o XP-47 era insuficiente armado e que tinha uma carga de asa demasiadamente alta e era muito lento em comparação ao Curtiss XP-46. Antecipando o fato de que a USAAF poderia, portanto, rejeitar seu projeto do XP-47, Kartveli voltou à prancheta de projetos.

Para poder acomodar o pesado poder de fogo, blindagem e tanques auto-lacráveis e ainda assim manter uma performance capaz de fazer frente aos caças inimigos, seria necessário um aumento substancial de potência. Kartveli resolveu então redesenhar a aeronave para acomodar o motor Pratt & Whitney R-2800 Twin Wasp, turbo-comprimido de dezoito cilindros refrigerados a ar, um dos mais potentes motores disponíveis na época. O armamento foi aumentado para um conjunto de oito metralhadoras Browning .50 montadas nas asas, seguindo a tendência estabelecida pela RAF, e fazendo da proposta da Republic um dos mais pesadamente armados caças em estudo pela USAAF à época. O peso total era de 5.220 kg, peso esse sem precedentes em caças monoplaces da USAAF. Visava-se uma velocidade máxima de 644 km/h a 7.600 m e 550 km/h a 1.500 m. Antecipava-se também que a altitude de 4.570 m poderia ser alcançada em cinco minutos.

Em 20 de junho de 1940, Kartveli enviou suas idéias a USAAF, sendo que este ficou suficientemente impresionado com a proposta a ponto de, em 6 de setembro de 1940, encomendar um protótipo com a designação XP-47B. Essa designação foi um tanto incomum já que usava o mesmo número (47) para uma aeronave que era, na realidade, um projeto totalmente novo. Todo o trabalho no XP-47 e no XP-47A foi cancelado e o número de série do XP-47 foi transferido para o XP-47B.

Uma semana mais tarde, em 13 de setembro de 1940, 773 exemplares de produçào do novo caça foram encomendados pela USAAF, sendo 171 P-47B e 602 P-47C. Ao mesmo tempo, o contrato assinado pela USAAF em 1939 encomendando 80 P-44 Rocket foi cancelado, sendo substituído por outro para uma quantidade similar de P-43 Lancer, o que manteria as linhas de produção da Republic, em Farmingdale, ocupadas até a entrada em produção do novo caça.

De maneira revolucionária, Kartveli decidiu projetar a fuselagem do XP-47B em função do grande turbocompressor desde o princípio, ao invés de simplesmente "encaixá-la" na fuselagem após o desenho desta. De modo a preservar uma fuselagem aerodinãmica e com uma pequena seção transversal, o turbocompressor foi colocado próximo à seção traseira desta. Era alimentado por um duto cuja entrada localizava-se logo abaixo do motor R-2800. Os gases do escapamento eram direcionados para a fuselagem traseira em um duto separado até a turbina, sendo expelidos através de um escapamento na cauda. O ar que era captado pelo duto de alimentação passava pela turbina e era devolvido ao motor sob pressão, via intercooler.

Outro problema que teria que ser resolvido era que a aeronave requeria uma enorme hélice quadripá de 3,4 metros de modo a aproveitar toda a potência do motor R-2800. Essa enorme hélice, por sua vez, requeria que houvesse uma grande altura livre do solo de modo a não bater no chão nas decolagens e pousos. Se um trem de pouco convencional fosse instalado no Thunderbolt, teria que ser instalado numa posição muito afastada da fuselagem, o que deixaria espaço insuficiente para as quatro metralhadoras em cada asa e sua munição. Para resolver este problema, Kartveli optou por um trem de pouco do tipo "telescópico", que era 23 cm mais curto quando retraído do que quando estendido. Surpreendentemente, este sistema causou poucos problemas durante a carreira do P-47.

Assim como seus antecessores P-35 e P-43, o P-47 era um monoplano cantilever de asa baixa e semi-elíptica com os ailerons na parte externa do bordo de fuga e os flaps na parte interna do mesmo bordo. A fuselagem semi-monocoque era toda de metal, mas no início as superfícies de controle eram em tela. A roda da bequilha era direcionável e totalmente retrátil. Todos os tanques de combustível ficavam dentro da fuselagem e eram auto-lacráveis. O cockpit não era pressurizado, mas contava com considerável blindagem.

O nome "Thunderbolt" foi originalmente sugerido por C. Hart Miller, Diretor de Contratos Militares da Republic Aviation, sendo imediatamente aprovado pela empresa e pela USAAF.

O protótipo XP-47B (40-3051) voou pela primeira vez em 6 de maio de 1941, pilotado por Lowry L. Brabham. Este voo ocorreu apenas oito meses depois da encomenda da USAAF. O XP- 47B era o maior caça monoplace construído até então. Com um peso carregado de 5482 kg, o XP-47B era muito maior que seus predecessores, sendo quase duas vezes mais pesado que a maioria de seus contemporâneos. O motor XR-2800-21 gerava 1960 hp a 7.865 m, com uma velocidade máxima de 663 km/h, 19 mph acima do previsto por Kartvelli. No primeiro vôo, o piloto viu-se forçado a fazer um pouso planado de emergência devido ao vazamento de gases do escapamento dentro do cockpit. O protótipo foi destruído em um acidente em 8 de agosto de 1942.

Jambock.com.br - Versão 4 - Março de 2015
© Copyright 2000 - 2017 Vicente Vazquez